sábado, 3 de março de 2007

Ran


"É complicado dissertar sobre qualquer obra de Kurosawa, um dos principais diretores de todos os tempos. Ao mesmo tempo que falar sobre ele assusta, pois é uma considerável responsabilidade, sendo simultaneamente desafiador e fascinante conhecer melhor o seu trabalho."


Veja a crítica completa no site Cine-Asia, clicando aqui.

8 comentários:

Túlio Moreira disse...

"Cada plano é cuidadosamente planeado e filmado, sendo visualmente arrebatador."

Acho que essa frase resume Ran. Belo texto!

abs!

Roberto Queiroz disse...

Uma obra-prima do cinema dirigida por uma obra-prima de diretor. Não só Ran, como Dersu Uzala, Os Ste Samurais e Sonhos são exemplos claros do que o cinema deve ser em sua máxima expressão: o contato com o mágico, o lúdico, o fantástico sem perder os toques de humanidade.

(http://claque-te.blogspot.com): Dreamgirls, de Bill Condon.

Museu do Cinema disse...

Considero o Kurosawa, um mestre das imagens.

Museu do Cinema disse...

Parabéns pelo texto sobre Ran, fiquei com gostinho de rever essa obra, um épico!

Otavio Almeida disse...

YEEEEEEEEEEEEEEEEES!!!!!! Que filme! Kurosawa era um mestre! Sabia usar o visual como forma de contar a história. Poucos fizeram isso com tanta perfeição...

Abs!

Vinícius P. disse...

Ainda não vi "Ran", porque infelizmente não o encontrei (as locadoras daqui são péssimas, é complicado encontrar filmes clássicos, ainda mais orientais). Ah, a foto de "Litte Miss Sunshine" está soberba, parabéns!

Marcus Vinícius disse...

Kurosawa é fodão, tudo que fez é no mínimo bem acima da média, tal como Kubrick, só para comparar (se alguém achar alguma coisa ruim deles, eu viro colorado!)

Abraços a todos!

Museu do Cinema disse...

Uma vez gremista, sempre gremista, não tem condições de virar a casaca!