quarta-feira, 1 de agosto de 2007

Duro de Matar 4.0

Título Original: Live Free or Die Hard
Direção: Len Wiseman
Ano de lançamento (EUA): 2007
Duração: 130 min.







Os tempos são outros. Estamos na era pós 11/09, onde o objetivo principal dos terroristas é atacar os alicerces do estilo de vida e prejudicar a estrutura econômica de um determinado país, esse último que pode ser feito hoje em dia usando apenas computadores. Porém para John McClane, que não quer saber de modernidades, bandido é bandido e ele mete bala em todos em Duro de Matar 4.0, uma das continuações mais esperadas do ano.

O policial casca-grossa se mete nessa história toda quando o FBI sofre uma invasão na sua rede de computadores e logo após decide ir atrás de todos os hackers que poderiam ter realizado tal feito, um deles ficando a cargo de John ir buscar. Só que ao chegar à casa do rapaz, um grupo fortemente armado os ataca. Após John matar metade deles e escaparem dali, os dois descobrem que isso tudo é apenas o começo de uma série de atentados terroristas aos Estados Unidos.


Após 12 anos, a série Duro de Matar retorna. Um clássico dos filmes de ação/policial e também dos chamados ‘filmes de macho’. E tem horas que nenhum filme satisfaz mais do que esses. É praticamente uma necessidade (pelo menos para mim) assisti-los, com muitos tiroteios, perseguições, ouvir um cara apontando uma Magnum entoar frases como Go on punk, make my day. Convenhamos, tem momentos que não há nada melhor que assistir um filme com esse teor, assim digamos.

A palavra para definir a trama é simplicidade. Não tem muita frescura: o bonzinho, sempre sozinho e sem reforço, descobre um bando e vai acabando um por um com os bandidos, sempre apanhando bastante, até chegar ao chefão, que a essa altura já está com algum familiar seu. A fórmula pode parecer repetitiva, muito batida, mas funciona quando executada de forma correta e sem exageros. A diferença é que foi aplicado o contexto atual, que no caso é o terrorismo. E o protagonista então, sempre como um anti-herói e com algum problema pessoal (John McClane é um pessoa retro, isso fica bem fácil de perceber logo no início) vai lá e dá conta do recado mesmo assim.

Duro de Matar 4.0 é um filme com todos os elementos necessários para seu gênero, com um bom nível de qualidade na grande maioria de seus quesitos. Há mim vem um sentimento nostálgico, pois são continuações de franquias, de filmes que me acompanharam por toda infância e tiveram uma grande importância na minha formação cinéfila. Diferente de algumas continuações, Duro de Matar 4.0 mantém o fôlego e a qualidade dos anteriores. Mantém a bala na agulha, isso sim.

11 comentários:

Roberto Queiroz disse...

Bom saber que a qualidade de produção foi mantida em relação aos anteriores. Gosto muito dessa franquia (é praticamente uma exceção à parte dentro desse universo cinematográfico que eu, honestamente, não costumo valorizar muito).

(http://claque-te.blogspot.com): Fabricando Tom Zé, de Décio Matos Jr.

Outros blogs:
http://houseagency.blogspot.com
http://fotovoyeur.zip.net

Ronald Perrone disse...

Nossa! Também vi esse filme e adorei...heheh, Bruce Willis tá foda no repetindo o papel!
Abraços!

Kamila disse...

Marcus, filmes como "Duro de Matar" também fizeram parte de uma fase da minha vida e são uma parte importante da minha formação cinéfila.

Não preciso dizer que adorei o filme. O Len Wiseman faz um belo trabalho nas cenas de ação. O Bruce Willis continua em forma. O filme tem uma trama legal, que prende a nossa atenção. E a adição do Justin Long ao elenco foi excelente, ele é engraçado mesmo e faz um contraponto legal com o John McClane. O único elemento que destoa mesmo é o vilão do Timothy Olyphant.

"Duro de Matar 4.0" é o melhor filme do verão norte-americano.

Johnny Strangelove disse...

Filme de Macho ... eehehehe
eu gostei e muito do filme
depois vou fazer a resenha...
abraços

Felipe Nobrega disse...

Bem, é como disse em outro post, Bruce Willis insiste em não envelhecer, e ainda não consegui chegar a uma conclusão se isso é bo ou ruim.
No blog os prêmios da cafeteria de Juhlo.
abraços

Bakemon disse...

Legal. Bom saber que Duro de Matar continua mandando bem. Vou conferi-lo semana que vem.

Marcus Vinícius disse...

Valeu a visita aí pessoal. Abraços pros guri e beijos pras gurias! =D

Vinícius P. disse...

Também gostei muito desse filme, Marcus. Confesso que não sou nenhum grande fã da série (talvez porque tenha visto os filmes há muito tempo atrás), mas "Duro de Matar 4.0" superou totalmente minhas expectativas.

"tem momentos que não há nada melhor que assistir um filme com esse teor, assim digamos" - é bem isso que penso, afinal chega de drama por um tempo...

André disse...

Eu to na fila pra ver, quero ver se essa semana do um look nele..
Afinal..
John McLane é ocara!
ehehe

Johnny Strangelove disse...

fiz a resenha
veja lá
abraços

Gustavo disse...

É um filme divertido e bem feitinho, mas o problema foi a ganancia do estudio na decisão de abrandar a censura. Tivemos menos palavrões, menos sangue... o personagem perdeu um pouco da identidade. Mas é uma boa diversão.