terça-feira, 6 de fevereiro de 2007

The Last Waltz – O Último Concerto

Título original: The Last Waltz
Direção: Martin Scorsese
Duração: 117 min.
Ano de lançamento (EUA): 1978




Se fossemos dar uma de Nick Hornby e elaborar uma lista com os 5 melhores shows de todos os tempos, The Last Waltz seria um dos escolhidos. Trata-se do concerto de despedida da “The Band”, onde o palco praticamente vira uma constelação com grandes nomes da música como Bob Dylan, Neil Young e outros mais, sendo que essa celebração foi registrada com a maestria de Scorsese.

Antes de tudo, Scorsese sempre foi um amante da música. As trilhas de seus filmes esbanjam bom gosto e capricho, sem contar os vários documentários já realizados, como o No Direction Home, que desmistifica nada mais do que Bob Dylan, e um projeto de vários episódios sobre o Blues, que conta com a participação de Win Wenders, Clint Eastwood e Mike Figgis. A suia paixão pela música é tão grande que o próprio diretor bancou todo aparato para a filmagem do show, pois os músicos não tinham dinheiro para isso, segundo Robbie Robertson, guitarrista da The Band. Como se não fosse o bastante, ele fez um storyboard e dividiu todas as músicas para definir os planos e ângulos de filmagem. Se em um filme normal isso já é complicado de fazer, imagine num show ao vivo, onde não tem como repetir a cena.


O resultado de todo esse perfeccionismo foi espetacular. Grandes tomadas com o público como plano de fundo, belos efeitos de luz como em It makes no difference, Helpless e Mistery train, todas as músicas intercaladas com histórias dos integrantes da banda, dando um ar de documentário a obra. The Band é um grupo americano de folk-rock, que já trabalharam com Bob Dylan e Ronnie Hawkins e compôs músicas clássicas como The Weight. Isso foi muito importante para o ponto forte do show, que é a lista de convidados, que conta com, além do já citado Dylan e Hawkins: Neil Young, Eric Clapton, Neil Diamond, Joni Mitchell, Van Morrison, Ron Wood, Muddy Waters, Ringo Star, Dr. John e outros. É dificílimo juntar nomes que estavam em efervescência na época, como Mitchel e Dylan, e nomes que serviram de inspiração para todos eles, como Muddy Waters. Os deuses do rock deviam estar muito ocupados neste dia.

The Last Waltz não deixa de ser uma viagem na cultura musical americana. É mais que um mero show de despedida, é uma celebração, prova disso é o ato final onde todos os convidados sobem ao palco. Registrado com carinho por um cineasta que sempre soube utilizar da música em seus filmes, pode até ser que não seja uma de suas principais obras, mas é inegável a qualidade dela. Foi um acontecimento ao nível de Woodstock, guardadas devidas proporções. Agora, o filme só funciona se você ouvi-lo num volume alto, bem alto.

10 comentários:

Museu do Cinema disse...

Belo post. Scorsese, Tarantino e Cameron Crowe merecem um capitulo a parte quando se fala de música e cinema.

Scorsese tb virá, mais para frente, com um filme sobre os bastidores do show dos eternos Rolling Stones.

Túlio Moreira disse...

Porra louca, não conhecia o blog e já entro com um grande texto sobre uma das loucuras cult do Scorsese. Demais!

Museu do Cinema disse...

Pois é Túlio, deixa então eu fazer as apresentações, Túlio, esse é o Marcus, que além de cinéfilo ele tem outra grande qualidade, é gremista.

Marcus, esse é Túlio, que além de cinéfilo é poeta.

Marcus Vinícius disse...

Poeta hein, que legal. Seja bem vindo então. =]

Cassiano, dia 15 tá chegando... Essa semana vou providenciar uma camisa nova, eu to emocionado demais esse ano, to sentindo que algum tri vem... Abraços

Túlio Moreira disse...

Valeu! Marcus, já troco idéias de filmes com o Cassiano há um tempo, e podemos começar também. E começou bem, com Scorsese, que é um dos meus ídolos..

Abraços!

Otavio Almeida disse...

THE LAST WALTZ é o máximo!! Vcs já viram NO DIRECTION HOME?? Eu ainda não... E Marcus, essa foto aí no alto do Chefão é sensacional.

Abs!

Otavio Almeida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcus Vinícius disse...

Otávio, se você for fã do Dylan como eu, irá assistí-lo umas 10 vezes, comprar o dvd e assistir mais algumas vezes. É muito bom, fiz a resenha dele, está ali nas lista dos filmes. Abraços.

Túlio Moreira disse...

Já tô até ouvindo... "Like a rolling stone!"

Museu do Cinema disse...

Adoro o Bob Dylan, mas estou mais para Van Morrison e Johnny Cash, dois de seus parceiros.

O Scorsese entende tudo de música.

Eu tb tô muito confiante no tri Marcus, o Mano é um técnico extraordinário, eu queria comprar a camisa nova, já saiu?