quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Fogo Contra Fogo

Heat, Michael Mann, 1995, 170 min.



- Sabe, estamos aqui sentados, como dois sujeitos normais. Você faz o que faz, faço o que tenho de fazer. Agora que estivemos cara a cara, se eu precisar prende-lo, não vou gostar. Mas lhe digo uma coisa, se for escolher entre você e um coitado cuja esposa se tornará uma viúva, irmão, você vai pro saco.

- Há o outro lado nesse jogo. E se você me prender e eu tiver de matar você? Porque não importa o que seja, você não atrapalhará meu caminho. Estivemos cara a cara, sim. Mas não vou hesitar, nem por um segundo.”


A cidade de Los Angeles serve de palco para a guerra entre Vincent Hanna, tenente do departamento de Polícia, e Neil McCauley, um experiente e gabaritado ladrão. Até aí tudo bem simples, é a trama de mais um filme de bandido e mocinho. Seria. Seria mais um, se Al Pacino e Robert De Niro não encabeçassem um grande elenco e não tivesse a mão de Michael Mann na direção de Fogo Contra Fogo, espetacular filme de ação/policial da década de 90.

“Não assuma compromisso com nada que não possa
largar em 30 segundos se a coisa sujar na esquina.”


Começando pelo elenco, recheado de grandes nomes como Val Kilmer, Ashley Judd, Tom Sizemore, Diane Venora, Dennis Haysbert (pode ser visto em The Unit), William Fichtner (do seriado Prision Break), Natalie Portman logo após emplacar O Profissional, e Jon Voight. Todos esses nomes liderados por Pacino e De Niro. Claro que o foco é na guerra e nos dramas pessoais dos protagonistas, mas cada personagem tem sua história bem desenvolvida e esclarecida, como a problemática enteada de Pacino, o vício e a crise conjugal do personagem do Val Kilmer, a dificuldade de um ex-presidiário voltar à sociedade como no personagem do Haysbert.

“Preciso preservar toda minha angústia! Eu a preservo porque preciso dela.
Ela me deixa afiado, no ponto, onde eu preciso estar.”


A direção de Michael Mann é muito segura, proporcionando belíssimas cenas, no geral com planos bem abertos e distantes. Além disso, considero a cena do tiroteio a melhor que existe em filmes policiais, pelos seguintes motivos: ela é praticamente em tempo real (se calcularmos o tempo, vai dar muito próximo do real), sem slowdowns ou cenas em câmera lenta (somente uma no final da seqüência, mas irrelevante) e sem trilha sonora no fundo, é só o barulho dos tiros e da correria. Simplesmente genial. Frases e diálogos de impacto são abundantes também, como de exemplo o diálogo entre Al Pacino e Robert De Niro que inicia o post.

Um clássico dos anos 90 e uma das maiores obras de ação/policial já criadas. Um elenco monstruoso liderado por dois dos maiores atores de todos os tempos, se não os dois melhores, com um diretor extremamente competente. Tudo funciona de forma harmoniosa, equilibrada, mantendo a tensão e ação. Fogo Contra Fogo é 5 estrelas, sem a menor sombra de dúvida.

8 comentários:

Museu do Cinema disse...

Filmão, genial, gostei das frases!

Marcus Vinícius disse...

Bah, eu sou muito emocionado com essa cena do tiroteio, hehe.

Kamila disse...

Um dos melhores filmes de ação que eu já vi.

Adorei o texto, Marcus.

Vinícius P. disse...

Droga, ainda não vi esse filme, acredita? Contudo, você já é a segunda pessoa que o recomenda, então com certeza verei em breve. Gostei muito do texto, mesmo sem conhecer o filme.

Abraço!

Johnny Strangelove disse...

fodasssooooo
eu tenho o dvd guardado a sete chaves ...
esse não me canso de ver ...
fodão mesmo ...

Ramon Scheidemantel disse...

Belas palavras.
Faz jus à qualidade da película.

Luciano Lima disse...

Marcus, concordo com você. Hoje em dia se colocam a competência de Michael Mann em xeque, só preciso lembrar de como ele conseguiu fazer uma seqüência de perseguição parecer tão realista, a ponto de te causar a tenção de um tiroteio normal, como você mesmo disse, até na duração dele. O que mais gosto nesse filme é a guerra de nervos entre De Niro e Pacino, os dois estão fantásticos no filme. Muito bom mesmo!

Bakemon disse...

Roberto de Niro + Al Pacino. Onde tem fumaça tem fogo! Destruidor.