terça-feira, 24 de julho de 2007

Zodíaco

Título original: Zodiac
Direção: David Fincher
Ano de lançamento (EUA): 2007
Duração: 158 min.





No dia 4 de julho de 1969, aproximadamente às 23 horas, Darlene Ferrin e Michael Mageau foram baleados numa estrada vazia em Vallejo, condado de San Francisco, Califórnia. Após alguns dias, os três principais jornais da região recebem uma carta de alguém que dizia ser o assassino do casal de Vallejo, além de confessar outros homicídios. As cartas são cheias de criptogramas e códigos, e o autor se auto-intitula Zodíaco. David Fincher traz a história de um dos serial killers mais procurados e mistificados da história dos EUA.

Primeiramente, vale lembra que é um filme bem diferente de Se7en, que também aborda assassinos em série e inclusive reinventou o gênero. O foco aqui não são os crimes e suas carnificinas ou o ‘artista’ criador deles, mas sim o fascínio e curiosidade que esses assassinos exercem sobre as pessoas. Mostra principalmente a obsessão do cartunista Robert Graysmith (autor do livro no qual o filme se baseia, que é interpretado por Jake Gyllenhaal) e do policial David Toschi (Mark Ruffalo) para descobrir a verdadeira identidade do Zodíaco e como isso mudou totalmente suas vidas, tanto pessoal como profissionalmente.


Fincher também é obsessivo. Perfeccionista de carteirinha, ele chegou a repetir 70 vezes um único take (Kubrick fez algo parecido em De Olhos Bem Fechados se não me engano) até que saísse do seu jeito. Apesar de ele ter um estilo mais arrojado, mais engenhoso e diferente (como podemos ver bem direitinho em Clube da Luta), Zodíaco é mais ‘simples’ mas de grande qualidade, com um ar mais documental, talvez até devido à extensa pesquisa realizada em torno do assunto, inclusive indo buscar teorias esquecidas e rejeitadas pela polícia.

Um filme diferente e singular de um serial killer, que aterrorizou e também intrigou grande parte da população e autorida
des envolvidas. Com uma direção competentíssima e uma história consistente, além de verídica, que permanecerá eternamente como um mistério, pois o real assassino nunca foi descoberto (mais uma vez um leve traço da visão pessimista do diretor). Zodíaco desponta como um dos destaques do ano e consagra ainda mais David Fincher como um dos grandes diretores contemporâneos.




A série Metal Gear, considerada por muitos (e por mim também) a maior obra-prima dos games de todos os tempos, faz 20 anos nessa semana. Pra completar, um trailer de um demo jogável de Metal Gear Solid 4 - Guns of the Patriots deve ser lançado. A humanidade agradece eternamente.

13 comentários:

Marfil disse...

Um filme de suspense. Um filme de bons argumentos. um filme de interpretações sutís. Um retorno triunfal do Fincher.

Wiliam Domingos disse...

Ainda não vi o filme....deixei passar infelizmente, mas acredito muito que seja uma volta e tanto de Fincher!
Abraço

Ronald Perrone disse...

Excelente filme! O trabalho mais maduro do Fincher e um dos melhores do ano!

Kamila disse...

Provavelmente, junto com o William, devo ser a única pessoa que ainda não assistiu à "Zodíaco" - o filme nem estrear nas salas de cinema daqui estreou... Uma vergonha!

Vinícius P. disse...

Puxa, visito o seu blog e dou de cara com os dois melhores filmes do ano. O #1, "Ratatouille", na bela arte de apresentação, e o #2, "Zodíaco", nesse ótimo texto! Sem dúvida Fincher é um mestre nesse tipo de filme, um suspense como há muito não se via.

Abraço!

Anderson disse...

Que liiiindo o seu banner de RATATOUILLE!!! Como eu sou apaixonado por esse filme, nossa...
Agora sobre o ZODIACO, achei bom mas não achei isso tudo. A metade do filme é mto cansativa, mas vale mais pelo elenco excelente.

Museu do Cinema disse...

Boa lembrança do Kubrick e seu perfeccionismo, ele é mesmo conhecido por repetir dezenas de vezes uma cena.

Roberto Queiroz disse...

Fincher não está onde está à toa. Zodíaco é uma pancada nos rins (mas dada quando vocêmenos espera, pois o cineasta adora trabalhar com o imprevisível). Se eu já era fã por conta de Seven e Clube da Luta, agora então... E o Robert Downey JR, hein? que artista sublime!

Cara, estou fazendo uma espécie de blog utilitário com material que anda engasgado lá em casa, aparentemente sem utilidade, sobre comunicação. Tem coisa que não acaba mais. Como sempre - em qualquer bazar - tem alguém procurando alguma coisa em algum lugar, decidi reunir isso num espaço virtual. o endereço é http://houseagency.blogspot.com
(querendo conhecer, fique à vontade!).

Wanderley Teixeira disse...

Realmente Zodíaco é um dos grandes destaques produzidos em 2007.Achei um dos melhores filmes do Fincher e esa abordagem q comentou,sobre o foco do filme ser o fascínio q a figura do serial killer causa nas pessoas,é um dos grandes trunfos do filme.Gyllenhaal,Downey Jr. e Ruffalo estão ótimos e o roteiro é dos melhores!

Luciano Lima disse...

Golpe baixo! Zodíaco e Metal Gear no mesmo tópico!? =P

Zodíaco é mesmo um filme excelente. Como tudo que o Fincher fez até agora, esse filme tem um "quê" de irreverência até mesmo documentando um fato tão bizarro, é só reparar na valorização das cenas de assassinato, que em poucos segundo marcam pra valer. Parabéns pelo texto e pelas escolhas \o/

PS: Preciso de um PS3!!!

Museu do Cinema disse...

O Video tá demais Marcus, só o grêmio mesmo para num momento tão sofrido trazer algum alento...

Museu do Cinema disse...

Vc já viu a entrevista do Peninha a ESPN?

Marcus Vinícius disse...

Já vi sim e tenho ela baixada e gravada, hehe. Peninha é demais, aquela hora que ele agita (ele tá sempre agitando com eles, mas enfim) com um dos entrevistadores dizendo "claro que gremista é assim, e tu não acha isso lindo, não acha isso másculo", eu MORRI de rir. Genial.